Autossabotagem: por que boicotamos o nosso próprio sucesso?


Você sente que a sua vida poderia estar muito melhor do que está no momento? E que, apesar do seu potencial, os seus resultados não são compatíveis? Você está sempre procrastinando coisas que sabe que

poderiam ser divisores de água em sua vida? O que causa isso? Como resolver?



Lembra daqueles desenhos que você assistia quando era criança e que um dos personagens estava sempre sabotando os planos do outro? Seja destruindo pontes, armando esquemas, plantando bombas, cerrando galhos, eles estavam sempre em guerra um com outro. E como você faz isso com a sua vida? Você já se perguntou isso?


Todos nós, em maior ou menor grau, nos sabotamos. Nós nos sabotamos por diversas causas e uma das maiores delas é o medo.


Medo de que, Rafa?

Medo de fracassar, medo de errar, medo de não tender às próprias expectativas e as dos demais, medo desagradar alguém, de ser rejeitado e até mesmo.. de ter sucesso.


"Medo de ter sucesso? Mas isso é tudo o que eu quero! ".


Será mesmo? A maioria das pessoas morre de medo de ter sucesso. Morremos de medo de obtermos aquilo que queremos porque não nos sentimos merecedoras. Parece que tem sempre uma voz dizendo: mas quem é você mesmo para querer e para ter tantas coisas? Quem você acha que é? Você é igual a todo mundo e não deveria perder tempo com besteiras.



1) Nós não fomos educados para sermos brilhantes nem para ter sucesso.


Somos educados para ser medíocres em muitas coisas e aprender o suficiente para passar em uma prova. Talvez você não tenha sido um aluno muito bom em matemática, ou em geografia, que seja; porém fez o mesmo teste que todos os outros.


A sua educação não te permitiu avançar nas matérias em que era brilhante e ir mais devagar nas áreas em que tinha mais dificuldades. Te ensinaram que você só era bom o suficiente se ficasse "na média" em tudo. Pois bem, é justamente isso que essa educação conseguiu formar: pessoas na média, que não acreditam no próprio potencial e que não entendem que, explorando os próprios dons e habilidades podem chegar muito longe, exatamente onde sempre sonharam.




2) Você provavelmente sofreu ainda mais se suas habilidades são não tradicionais


Se suas habilidades estavam na área das "não tradicionais" então, nem se fala. Se você era um excelente músico, um excelente pintor ou artista, por exemplo, muito pouco crédito deve ter recebido pelo seu talento, que ´pode ter sido rotulado como "hobby" ou até mesmo uma 'perda de tempo;". Entenda bem, nossa mente funciona de uma forma muito simples e primitiva em alguns aspectos . Ela é sedenta por recompensas.

Eu tenho uma cadelinha linda de 10 meses chamada Sophia e, todas as vezes que quero ensinar algo a ela o que eu faço? Isso mesmo, dou um petisco por uma boa ação. E que ela faz? Repete essa ação. Agora relembre comigo. quanto de incentivo e recompensa você recebeu na infância por desempenhar os seus talentos? Se fugiam alguma coisa do tradicional, eu me arrisco a dizer que provavelmente muito pouco ou nenhum.



3) Acredite ou não, os seus talentos e dons naturais podem te gerar riqueza.


Veja bem, a nossa alma sabe o que é melhor para a gente. Você conhece os seus dons e talentos e eu te GARANTO que, sendo eles quais forem, eles poderiam estar te gerando toda a riqueza e o sucesso que você deseja e necessita. E por que isso não acontece? Bom, em primeiro lugar, porque você provavelmente não acredita tanto assim neles. Em algum lugar, dentro de você, tem um menino ou menina dizendo; "ta bom, eu não sou tão bom em matemática assim" (ou português, história, geografia, o que você quiser.



4) Porém você aprendeu a não dar valor a eles


Você internamente até sabe que tem aqueles talentos. mas aprendeu muito cedo que não importava tanto assim ser bom naquelas coisas e que isso não te levaria ao sucesso se não tirasse notas boas ou ao menos medianas em tudo. Não te permitiram crescer o quanto você poderia. E agora é você que não se permite. Porque, se você se permitisse, estaria desafiando autoridades importantes e você aprendeu que, agindo assim seria um mau menino ou uma má menina. Estaria talvez desafiando internamente pais , professores e pessoas que você ê respeita e até ama muito. E tudo o que você mais quer no fundo é ser aceito e amado.



5) O que fazer então?


E o que fazer? É preciso reconhecer e integrar essas partes da gente. Do contrário estaremos vivendo uma vida "esquizofrênica" (esquizo = divisão, phrenia = mente), em que há uma dissociação completa (quase um abismo) entre os nossos potenciais e as nossas conquistas e realizações. É necessário recuperar e reintegrar todas as nossas partes, e reconstruir a ponte para que as nossas habilidades possam se manifestar e que possamos criar para nós mesmos a vida de sucesso que merecemos.


Dá um frio na barriga, não é? Saber que o seu destino está nas suas mãos, que os seus sonhos podem sim ser atingidos se você tiver coragem de persegui-los e que você e somente você é responsável por criar para você a vida que você merece viver; mas é chegado o momento de se libertar de todo medo e culpa. Você tem o direito de ser amado e aceito do jeito que você é. Você tem o direito de ser bem sucedido com as habilidades que você tem.


6) Foque nos seus talentos. Delegue o resto


Pode ser que você precise de algumas outras habilidades? Sim, não só é possível, como também é provável que você precise de algumas outras. E o que você faz em relação a isso? Algumas você desenvolve e outras você DELEGA. Foque nos seus talentos. Foque em fortalecer e potencializar aquilo em que você é bom e encontre pessoas para te ajudarem no que você não for. Tem recursos disponíveis? Contrate! (estude um pouco antes como fazer isso da melhor forma possível). Não tem recursos disponíveis? Forme parcerias. Assim como você precisa de outros recursos, tem muita gente por aí precisando dos seus. A vida é feita de trocas, esqueça a síndrome do colegial. Pare de achar que para ter sucesso você precisa saber fazer tudo.









71 visualizações3 comentários